Marco Pernambucano da Moda, Rua da Moeda, 46, Bairro do Recife - Recife, PE - Tel. +55 81 3448 0993

Please reload

Posts Recentes

Exposição conta trajetória do multiartista Leopoldo Nóbrega

May 29, 2019

 

 

 

RECIFE

Palestra de abertura: 06/06/2019 às 19h

INSCREVA-SE AQUI

 

Permanência 06/06 a 30/06/2019

Local: Marco Pernambucano da Moda,

Rua da Moeda, 46

Bairro do Recife, Recife - PE

 

CARUARU

Palestra de abertura: 04/07/2019 às 19h

INSCREVA-SE AQUI

 

Permanência: 04 a 31/07/2019

Local: Centro Tecnológico do Agreste - CT Moda/ITEP

Rua Dalton Santos, 319

São Francisco, Caruaru - PE

 

CORPO POLÍTICO É MODA E ARTE.  

 

 

O Marco Pernambucano da Moda tem o prazer de apresentar a trajetória do Multiartista e Ativista Pernambucano Leopoldo Nóbrega e seu legado inspiracional dedicado ao universo da moda, no período de 1995 a 2019. A exposição traz a linha do tempo com os principais eventos de 28 anos de trajetória criativa como artista visual, designer de moda e ativista, apresentados em painéis biográficos com suas principais coleções e criações originais que remontam sua visão política do corpo como porta voz do cenário produtivo, desde o Mercado Pop (feira de música, arte e moda que acontecia no Recife no final dos anos 90 e começo de 2000) e seu amor pelo jeans produzido no Polo de Confecção de Pernambuco;  até a criação do maior ícone do Carnaval de 2019, o Galo da Madrugada, chamado por ele de Galo Artesão, que projetou para o mundo seus pensamentos e práticas humanistas e ambientais.  

 

É na moda que se expressa de forma singular pela versatilidade técnica e riqueza conceitual, tratando a vestimenta como obras artísticas únicas e impregnadas de referências históricas e culturais. Algumas peças aqui expostas falam por si mesmas, especialmente as peças da coleção PELE DE GALO, elaboradas com uma técnica inusitada de união de retalhos triangulares de tecido, com diferentes combinações de cores e efeitos luminosos, resultando numa estrutura geodésica de forte efeito visual.

 

Sua visão ampliada do setor de confecções é fruto de seu envolvimento de duas décadas com o Polo de Confecção de Pernambuco e da capacidade de conjugar seu talento criador de artista/designer com sua atuação em defesa de práticas sustentáveis e da inclusão social.

Leopoldo é múltiplo. É litoral e é agreste. É novo e é tradição. A moda e arte de Pernambuco cresce e aparece, com ele e por ele.

 

Texto: Fredi Maia - Presidente do NTCPE.

 

 

LEOPOLDO NÓBREGA – Resumo Biográfico 1977 a 2019.

 

Natural de Recife dedicou-se desde muito cedo aos caminhos das artes. Filho mais velho vivenciou com seus irmãos Rodrigo e Germana Xavier Nóbrega uma infância de muitas referências artísticas, a exemplo da música, tendo estudado Teoria e Solfejo por quase dez anos no Conservatório Pernambucano de Música. Ampliou seus conhecimentos práticos com o primo e músico Allan Montarroyos, chegando a se apresentar como tecladista em vários eventos na adolescência. Em paralelo, desbravava as artes plásticas, ambiente mais fértil, onde pôde expressar seu olhar criativo. Leopoldo ainda criança explorava técnicas de desenho, pintura e modelagem em argila com o incentivo dos seus pais Jurandir de Andrade Nóbrega e Maria do Carmo da Silveira Xavier; de sua avó Neusa Brederodes, também artista e costureira de mão cheia, de quem herdou os primeiros ensinamentos da moda; e de sua tia Elizabeth Xavier que teve grande importância na sua evolução artística e empreendedora até as primeiras coleções. Mas, sua principal referência nas artes foi sua mãe Maria do Carmo, Professora, Pesquisadora em Eco Arte Educação e Artista Plástica, que mais tarde veio a fundar a Galeria e Espaço Multicultural ARTE PLENNA no bairro do Arruda, local que abriga o ateliê e showroom do artista até hoje. O Espaço também funciona como atelier escola, revelando novos talentos, qualificando e integrando comunidades através da RECRIA – Rede Nacional de Turismo Criativo, além de diversos projetos culturais que realiza com sua irmã, produtora executiva e sócia, Germana Xavier Nóbrega.    

Aos 12 anos, descobriu o surrealismo na obra do artista plástico holandês Hieronymus Bosch (1450 - 1516), que o influenciou diretamente na construção de personagens fantásticos que pintava a óleo sobre papel. Outros artistas como Pieter Bruegel, Giuseppe Arcimboldo, Pablo Picasso, Salvador Dalí, Joan Miró, Gustav Klimt, Lula Cardoso Aires, Vicente do Rego Monteiro, Gilvan Samico, Francisco Brennand e João Câmara também tiveram relevância na sua formação crítica sobre arte.  

    

Aos 13 anos, apaixonou-se pela cerâmica vitrificada que conheceu através das joias esmaltadas que sua prima Ceiça Xavier também química produzia de forma artística. Aos 14 anos montou sua estrutura e comprou o primeiro forno do mestre Bartolomeu, conhecido no polo cerâmico do Cabo de Santo Agostinho. Nessa fase, passou a frequentar as olarias e teve como um dos mestres da cerâmica, o oleiro Urudas que sabia tudo sobre as argilas e a arte de tornear. 

 

Com 16 anos, ingressou no curso técnico de química industrial do ETEPAM e dedicou-se a pesquisa de minerais e técnicas de formulação para esmaltes cerâmicos, vindo a exercer estágio na antiga Cerâmica Santo Aleixo onde desenvolveu vários painéis artísticos. Inspirado nos estudos de Metalocerâmica apresentados pela IASA e o Clube dos Químicos do Brasil no Laboratório de solos da UFPE, aprofundou seus estudos na química, culminando na expansão do uso da cerâmica aplicada à moda e outros suportes, sobe o tema - Poliformática: a cerâmica do III milênio. Passa a ser destaque em vários jornais, catálogos e revistas especializadas como: Vogue, Elle, Elle Especial Jeans, Manequim, World Fashion, A&D, Textilia, Impressão & Cores, Casa Cor e outros.

 

Em 1995, com 19 anos, passou a frequentar e integrar o Mercado Pop, iniciativa que marcou época como celeiro de talentos das artes visuais, moda, design e música, todos impulsionados pelo movimento Mangue que sacudia o Recife. Nomes como Chico Science, Ariano Suassuna, J. Borges, Mestre Vitalino, Roger de Renô, Gê Domingues, Eduardo Ferreira, Ronaldo Fraga, Alexandre Hercovitch, Paulo Bruscky & Santiago, Ana Mae Barbosa e Jomard Muniz de Brito, entre tantos outros, influenciavam fortemente essa geração.

 

Em 1999, inicia os estudos de nível superior em administração com ênfase em marketing pela SORESCH, vindo a formar-se anos depois com monografia sobre Toritama e sua participação mercadológica para o desenvolvimento do polo de confecção de Pernambuco.

A partir de 2002, conhece o polo de confecção no agreste pernambucano e se apaixona pelo jeans e toda pujança produtiva. Ao perceber os impactos ambientais causados pela indústria da moda, aumenta seu interessasse pelo assunto e resolve investigar soluções criativas com os resíduos e tecnologias industriais.

 

Em 2007, funda o coletivo Ativistas da Moda com a modelista parceira Heloiza Lima Luz e juntos alavancam várias coleções experimentais. Neste período, exerce por sete anos a direção de conteúdo, direção de arte, Curadoria e edição geral da Revista Moda Agreste, uma ferramenta estratégica de sensibilização e visibilidade do Polo de Confecção de Pernambuco. É convidado pela ACIC – Associação Comercial de Caruaru, a fundar a Câmara setorial dos profissionais da moda, que se extinguiu com 4 anos de existência, após seu afastamento voluntário.

 

Entre 2005 e 2008, atua como designer e gerente de produtos para o mercado nacional na empresa SRJ e passa a dominar os processos na indústria e no mercado do denim, desenvolvendo produtos em jeans para grandes magazines como Marisa, Riachuello, Renner, Colombo, Walmart e outros.

Entre 2008 e 2011, é contemplado pelo FUNCULTURA com uma exposição individual, comemorativa dos seus 20 anos de carreira, realizada na Torre Malakoff com curadoria de Beth Araruna e produção da MUSI Promocultural com o tema “O Imaginário Folclórico e os Homens que Sapiens Sapiens”.

Há 15 anos, vem atuando fortemente na criação de cenografias, direção de arte e figurinos para o mercado local e nacional, com destaque para gravações de DVDs de vários artistas e especiais à convite da Rede Globo NE e RJ, assinando obras que ficaram na história como as séries: Causos & Cantos além de várias homenagens ao Mestre Luiz Gonzaga e shows de Jorge de Altinho, Orquestra Criança Cidadã, Josildo Sá e Paulo Moura, Reginaldo Rossi, Adilson Ramos, Paulinho Leite, Jessier Quirino, Almir Rouche, Lucy Alves, Benil, Maestro Forró, Antúlio Madureira, Adriana B, Iráh Caldeira, Maciel Melo, Programa Estação Nordeste, Festival de Verão, São João da Capitá, Festivais de quadrilha, Troféu Lance Final, Copa das Confederações, Natal Solidário, Campanha Sonho de Valsa, incluindo a turnê internacional da banda Natiruts e outras produções à convite da Prefeitura do Recife, shoppings, projetos para a Tv Jornal e eventos culturais, com destaque para os figurinos da abertura do Carnaval do Recife e a escultura gigante do Galo da Madrugada 2019.

 

Em 2014, ganha o Prêmio Pernambuco Criativo, concedido pela Secretaria de Desenvolvimento do Estado – SDEC, pela criação de produtos de baixo impacto ambiental, em sintonia com a economia criativa, através da técnica artesanal de eco gravuras com uso de cerâmica aplicada à moda. 

A partir de 2015, intensifica sua atuação como consultor em gestão de moda e mercado, com ênfase para o desenvolvimento de produtos e campanhas de marketing estratégico voltados para a economia criativa, passando a integrar como colaborador do Guia Jeanswear, maior portal especializado em denim do Brasil, além de empresas como IADH, Sebrae-RN e Sebrae-PE, FASA, UNICAP, Grupo Mondelez, ONDM, FCEM Group e vários projetos culturais. Em 2018, inicia sua pós-graduação em arte terapia junguiana no Centro Traços (em formação), aproximando as argilas como recurso terapêutico.

 

O Espaço Multicultural Arte Plenna e o Atelier Leopoldo Nóbrega estão ativos até hoje com o objetivo claro de serem um laboratório de processos artesanais para desenvolvimento de produtos com valor agregado, pesquisas de sustentabilidade e transformação humana.  

Aos 42 anos, Leopoldo Nóbrega comemora seus 28 anos de carreira. Recentemente ficou conhecido por todos os pernambucanos, pela criação do Galo da Madrugada para o Carnaval 2019,  batizado de “Galo Artesão” - grande experiência artística que contou com a colaboração de artesãos da Bomba do Hemetério, com uso de resíduos têxteis do polo de confecção do agreste de PE e eco pinturas com as argilas em extinção do Alto do Moura de Caruaru.

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload